Cirurgia Plástica

Reconstrução mamária

A reconstrução da mama é um procedimento física e emocionalmente gratificante para uma mulher que perdeu a mama devido ao câncer ou a outra situação. Uma nova mama pode melhorar radicalmente sua autoestima, autoconfiança e qualidade de vida. Embora a cirurgia possa lhe dar uma mama relativamente natural, a mama reconstruída nunca será igual a mama que foi removida.

Os seios têm uma representação simbólica muito forte para a mulher, pois eles têm relação direta com a feminilidade, autoestima, sexualidade e maternidade, fatores intimamente presentes no universo feminino. Uma mastectomia, cirurgia para a retirada total ou parcial da mama para tratar a paciente com câncer de mama, pode afetar psicológica e emocionalmente a vida de uma mulher, nesse sentido, o procedimento cirúrgico para a reconstrução da mama se torna fundamental.

A reconstrução da mama é conseguida através de várias técnicas de cirurgia plástica que tentam restaurar a mama considerando-se a forma, a aparência e o tamanho após a mastectomia. A cirurgia pretende criar uma forma natural, dando equilíbrio e proporção ao corpo. Correção de deformidades menores pode beneficiar a aparência e a autoestima.

Se apenas uma mama é afetada, somente ela pode ser reconstruída. Ademais, redução de mama, pexia ou aumento de mama podem ser recomendados para a mama oposta para melhorar a simetria de ambas as mamas.

Em alguns casos, a mamoplastia é realizada isoladamente, em demais casos, ela é usada com procedimentos de cirurgia plástica tais como a lipoaspiração ou abdominoplastia. Mas antes de qualquer coisa, escolha um cirurgião em quem você possa confiar.

O tamanho e a forma dos seios são importantes. Converse com seu cirurgião sobre suas expectativas. O tipo e o tamanho do implante serão determinados não apenas pelo seu desejado de aumento no tamanho, mas, também, pela elasticidade da pele, anatomia e tipo físico.

“A reconstrução da mama é um procedimento física e emocionalmente gratificante para uma mulher que perdeu a mama devido ao câncer ou a outra situação”, conta a Dra. June Favarin. “Uma nova mama pode melhorar radicalmente sua autoestima, autoconfiança e qualidade de vida”, complementa.

Cirurgia plástica envolve muitas escolhas. A primeira e mais importante delas é selecionar um cirurgião em quem você possa confiar. Verifique se o cirurgião é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e se tem Registro de especialidade médica (RQE) em cirurgia plástica pela AMB (Associação Médica Brasileira). Também é importante checar o currículo do profissional, onde ele fez a graduação, residência médica, especialização e sua experiência profissional.

Indicações da reconstrução de mama

  • O mais importante em uma cirurgia de reconstrução é o estado psicológico da paciente.
  • Mulheres com condições médicas ou que não possuam doenças que possam prejudicar a cicatrização,
  • Mulheres com visão positiva e expectativas realistas do resultado da reconstrução da mama e da imagem corporal.
  • A cirurgia deve ser adiada até que você se recupere da mastectomia e de quaisquer tratamentos adicionais do câncer.
  • É importante que você se sinta pronta para o aspecto emocional envolvido na reconstrução de mama. Pode levar algum tempo para aceitar os resultados da reconstrução.

Como é a cirurgia

Na cirurgia de reconstrução a paciente pode optar por corrigir ou aumentar a mama que não passou pela mastectomia. Por exemplo, existem pacientes que tem uma mama com gigantomastia de um lado, ou seja, uma mama grande e caída e do outro lado realizaram a mastectomia. Nesse caso, na cirurgia pode ser feita a simetrização, que associa a reconstrução de uma mama e a redução com elevação da outra.

Nas situações em que a paciente tem histórico familiar de câncer de mama, o mastologista, em conjunto com o cirurgião plástico, pode optar pela retirada da glândula mamária da mama que não tem tumores, com o intuito de uma medida profilática, prevenindo com que ela tenha câncer também nessa mama.

O cirurgião plástico faz a cirurgia e a paciente fica com duas próteses de silicone no lugar das glândulas mamárias.

Há várias técnicas de reconstrução mamária e, para decidir qual a melhor para determinada paciente leva-se em consideração basicamente a forma da mama, o biotipo da paciente e a técnica de mastectomia que foi empregada.

Próteses de silicone

Nos casos de mastectomias em que é possível preservar pele e complexo aréolo-papilar (aréola e mamilo) ou pelo menos pele, pode-se utilizar próteses de silicone que terão o papel de dar volume a mama reconstruída. A prótese neste caso é colocada atrás do músculo peitoral maior, músculo este que se localiza atrás da glândula mamária. O modelo da prótese dependerá da forma da mama e do biotipo da paciente. Quando a quantidade de pele preservada na mastectomia não é suficiente para recobrir toda a prótese utiliza-se próteses expansoras, que são próteses que serão progressivamente enchidas com soro fisiológico com o objetivo de distender a pele e posteriormente, na maior parte das vezes, trocar a prótese expansora por uma prótese de silicone definitiva.

Este tipo de reconstrução é mais indicada para pacientes que não apresentam mamas com muita ptose, ou seja, mamas muito caídas.

Reconstrução com tecido Autólogo

Outra forma de reconstrução cirúrgica da mama é quando se retira tecido de uma área do corpo da própria paciente e esta área é transferida para o local onde estava a mama. Pele, gordura e músculo são os tecidos que serão a nova mama e estes tecidos são provenientes, principalmente do abdome ou das costas da paciente.

TRAM

Nesta técnica utiliza-se o retalho músculo-cutâneo transverso do reto abdominal, na qual pele, gordura e músculo do abdome serão transpostos por um túnel para o local onde estava a mama. Ponto fundamental para escolha desta técnica é que a paciente não seja muito magra, ou seja, tem que apresentar tecido gorduroso abdominal sobressalente para que haja volume para a reconstrução da nova mama.

Grande Dorsal

Nesta técnica utiliza-se o retalho grande dorsal, ou seja, pele, gordura e músculo das costas da paciente, os quais serão transpostos para o local da mastectomia pela axila da paciente. Neste tipo de reconstrução utiliza-se, na grande maioria das vezes, uma prótese de silicone associada a fim de fazer volume na nova mama, uma vez que, o tecido gorduroso das costas da paciente não é suficiente para dar o volume adequado.

Anestesia da reconstrução de mama

Medicamentos são administrados para o seu conforto durante o procedimento cirúrgico. As opções incluem sedação intravenosa e a anestesia local.

A anestesia local funciona bloqueando os receptores para dor na pele e os nervos mais superficiais, impedindo que os mesmos consigam enviar sinais doloroso para o cérebro.

A Dra. June Favarin alerta que somente médicos especializados podem usar as técnicas de anestesiologia.

Pós-operatório

O pós-operatório irá variar de paciente para paciente, de acordo como numero de procedimentos realizados, características clínicas, entre outras variáveis. Via de regra a maior parte dos procedimentos exigem pelo menos uma semana de repouso e 30 a 90 dias afastados de atividades físicas mais intensas, como academias e outros esportes.

Após a cirurgia utilizando retalhos e/ou inserção de um implante, gazes e fitas serão aplicados nas incisões. Uma bandagem elástica ou sutiã irá minimizar o inchaço e sustentar a mama reconstruída. Um dreno pode ser temporariamente colocado sob a pele para drenar qualquer excesso de sangue ou de fluido.

Você receberá instruções específicas, incluindo: Como cuidar de sua mama após a cirurgia, os medicamentos que deve tomar por via oral para ajudar a reduzir o risco de infecção, preocupações específicas a procurar no local da cirurgia ou em sua saúde geral, e como será o acompanhamento com o cirurgião plástico.

Segundo o Dr. Eduardo Favarin o resultado do procedimento varia para cada paciente, por isso é importante procurar um profissional que esclareça todas as dúvidas e explique detalhadamente o procedimento, quanto mais seguro e confiante o paciente se sentir melhor.

Resultado da construção mamária

Os resultados finais da reconstrução pós mastectomia podem ajudar a minimizar o impacto físico e emocional da mastectomia. Com o tempo, certa sensibilidade na mama pode voltar, e as cicatrizes tendem a melhorar, embora nunca desaparecerão completamente. Há algumas limitações, mas, a maioria das mulheres acha que são pequenas em comparação à melhoria em sua qualidade de vida. Monitoração cuidadosa da saúde da mama através do autoexame, mamografia e demais técnicas de diagnóstico é essencial para sua saúde a longo prazo.

Preço da cirurgia de reconstrução de mama

A hora de estipular o custo da cirurgia, há uma série de fatores que influenciam nesta soma. Uma deles é o cirurgião plástico, ou seja, o quanto ele é experiente e especializado no assunto. Mas não se iluda, ter um profissional qualificado é fundamental se você quer ter um bom resultado. Por isso, confirme sempre se o médico é um especialista e experiente em cirurgia plástica. Uma das melhores formas de fazer isso é conversando com outros pacientes.

Procedimento cirúrgico passo-à-passo.

Assista o vídeo e conheça detalhes de como é realizada a cirurgia para lipoaspiração da papada.

Acesse nosso canal no youtube

Assista mais vídeos sobre estas e outras cirurgias em nosso canal.

Receba nossas newsletters

Preencha o formulário ao lado e cadastre-se para receber nossos informativos sobre cirurgia plástica.